2 de setembro de 2010

A Cura

João Emanuel Carneiro, este é o nome do cara.
Autor da melhor novela dos últimos tempos, A Favorita, JEC também é a mente por trás de recentes sucessos: Da Cor do Pecado e Cobras e Lagartos. Após essas duas novelas das sete, provou seu talento e conseguiu entrar no grupo dos autores das novelas do horário nobre. Sua estreia no horário das oito com A Favorita alavancou ainda mais o seu nome que já está reservado para uma nova produção em 2012.
Como 2012 ainda se aponta longe no horizonte JEC não ficou parado, durante este intervalo atuou como supervisor de texto em Cama de Gato e agora está no ar com a (micro)série A Cura. E é este o tema principal do post de hoje.
A Cura traz a junção que fez sucesso em A Favorita, João Emanuel Carneiro e Ricardo Waddington, diretor responsável pelas cenas de tensão elevada da novela. Além de contar com um elenco global de grandes nomes.
A série trouxe de volta à tv Selton Melo e trouxe à Globo Andreia Horta. Selton dispensa apresentações, é um dos maiores talentos nacionais com competência provada e comprovada com inúmeros trabalhos no cimema e na tv. Andreia Horta já fazia sucesso na tv a cabo e fez uma novela na Record, eu ouvia muito falar do sucesso da atriz mas não conhecia seu trabalho e estou deliciosamente encantando com sua atuação.
Um importante detalhe: todos os atores escalados são mineiros para dar mais veracidade à história que se passa em Diamantina, e  se posso falar, o sotaque mineiro é tão gostoso de se ouvir, especialmente quando Andreia Horta está dizendo algo.
A série é cheia de mistérios, mais uma vez JEC implica várias dúvidas no espectador nos jogando no meio de uma história sem que saibamos muito bem o que se passa. Uma personagem chave é (era) Edelweiss, interpretada por Inês Peixoto que acabou se tornando a estrela da série, a mulher considerada louca sabia de todos os segredos da cidade e sua peculiar forma de se comportar movimentou os primeiros episódios da série, mas se Edelweiss nos contasse tudo de cara não teria graça, o que JEC fez? Matou a personagem e ainda não se sabe o autor (ou autora) do crime.
A história de Silvério lá no século XVIII também esconde algumas das feridas que ainda doem na Diamantina atual.
Mais segredos estão escondidos na geração anterior da cidade, na qual Otto foi o personagem ao mesmo tempo amado e odiado por muitos.
Mistérios, segredos, dúvidas, ação e Carmo Dalla Vecchia ¬¬ estes são os ingredientes de uma boa história de João Emanuel Carneiro. Temos ainda poucos episódios à frente, cerca de 5 ou 6, aguardo ansiosamente o resto da história que me permite desfrutar do talento deste que já é o meu autor de novelas preferido.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails