31 de dezembro de 2010

2010, beijo me liga

E 2010 tá indo embora hein?
Eita ano que foi... DEZ!
Tô fazendo este post pra me despedir mesmo do ano, que veio como um furacão em minha vida.
Sim... este é um post de cunho bem pessoal.
E feito bem rapidinho, já que estou aqui, digitando, no meio da festa da virada.






2010 foi o ano que consolidou muitas das mudanças em minha vida começadas em 2009.
Em 2009 saí de casa, fui morar sozinho, fiz novas amizades, conheci novas realidades.
Em 2010 tudo isso tomou força, criei e estreitei muitos laços.
Fiz burrada também, e como fiz!
Com as minhas próprias mãos abri feridas irreparáveis, por minha culpa, minha tão grande culpa, muita coisa não voltou a ser como era em 2009.
Fiz de tudo para aprender com meus erros, e posso dizer, com confiança, que hoje sou uma pessoa diferente.


Diferente... já devem ter percebido que adoro essa palavra.
Comentei com vocês a respeito da recente entrevista de emprego de que participei, e nessa entrevista, pediram que eu me resumisse em uma palavra, escolhi a palavra "busca".
Faz todo o sentido, busquei e consegui muito do que almejei este ano, estou muito feliz com todas as mudanças que operei.


E no ano de 2010 dei o start nessa bagaça aqui né?
Resolvi realizar o sonho do blog próprio.
Este é o post de nº 69 (significa?), desde o fim de fevereiro, venho dando meu pitaco, desenvolvendo minha escrita, fazendo contatos, me expressando por meio deste blog. Até pra entrevista fui convidado devido ao blog haha


Profissionalmente falando, o ano de 2010 foi também especial, larguei a vida da contabilidade e me tornei professor de inglês, coisa que jamais havia imaginado fazer e simplesmente amei. Estou muito feliz com a mudança, dar aulas é sensacional.


E ainda tem a faculdade né?
Comecei o curso de Publicidade e Propaganda, dois períodos nos quais bastante coisa aconteceu. Através do curso cresci como estudante e como pessoa.
Graças às aulas de Redação na Comunicação, à professora Edna, ao Lucas Eggert e muitos outros amigos que fiz por lá, hoje sou uma pessoa diferente, com ideias e visão aprimoradas.



 Enfim...
2010, beijo me liga!

25 de dezembro de 2010

Animações

Minha lista de filmes que perdi e os quais ainda devo assistir é enorme. Vai de clássicos como a Série Hannibal a alguns mais recentes como A Rede Social (é, eu ainda não o assisti #vergonha).
Mês passado resolvi me pôr em dias com animações.
Seguindo a dica que Fernando Duarte cantou aqui no blog há um tempo - a propósito, você se lembra de Fernando Duarte, não é mesmo? O autor do antigo Blog da Marianna e da Claudinha, hoje Mariana e a Juventude Perigosa. O blog já foi tema de post aqui - assisti O Fantástico Sr. Raposo (The Fantastic Mr. Fox), animação que estreou aqui no Brasil no fim do ano passado.
Animação é coisa pra criança?
Peço que reveja seus conceitos. Ultimamente várias animações com temática mais adulta e menos infantil chegaram aos cinemas. E a animação O Fanstástico Sr. Raposo é uma dessas produções.
Diferente! É isso o que eu poderia dizer sobre o filme. Um roteiro cheio de sutilezas e um humor certas vezes negro dão a graça à animação. O mais legal aqui é uma produção meio propositalmente mal feita - mal feita neste caso significa: fora dos padrões. Você poderá notar a diferença no trailer, logo mais abaixo.
Fantásticas também são as atuações de George Clooney e Meryl Streep, que juntos com uma direção perfeita dão vida (mais necessariamente voz) aos personagens principais, sarcásticos, críveis, vou repetir, fantásticos!
Então tá aí, uma ótima animação, aventura, humor e drama também na história deste raposo esperto!



Assisti também Mary & Max - Uma Amizade Diferente (Mary & Max), filme sobre o qual já postei aqui no blog, dizendo que havia me chamado a atenção antes de sua estreia, mas que só fui conferir por agora.
Você ainda acha que animação é coisa para crianças?
Com Mary & Max esse tabu vai ao chão. O filme definitivamente não foi feito para crianças.
Prepare o lenço para chorar muito ao assistir esse drama.
A história de dois correspondentes improváveis: Mary, uma garota australiana de 8 anos (dublada pela sempre perfeita Toni Colette) vive uma triste vida ao lado de uma mãe alcóolatra e um pai ausente; Max, um americano de 44 anos, ateu, com sérios problemas mentais, extremamente descrente de sua vida. A partir do momento em que os dois entram em contato, muitas mudanças passam a acontecer em suas histórias. A estética do filme é um show à parte e passa uma atmosfera de depressão, agonia, tristeza... caso esteja para baixo, vá assistir outro filme, este definitivamente é um filme que te deixará ainda mais na fossa.
Excelente produção, indico muito!







E este todo mundo já conhece, nem preciso me prolongar. Up - Altas Aventuras (Up), essa sim uma animação infantil, é um filme especialmente emocionante. Diversão garantida para todas as idades, ouso dizer que talvez tenha sido a melhor animação infantil que assisti. Ri, chorei, me diverti horrores com a produção. Caso ainda não o tenha assistido corra à locadora mais próxima e prepara-se para bons momentos ao lado de personagens extremamente cativantes!





Por enquanto é isso, aos poucos vou ficando em dias com esse monte de filmes atrasados. Dentre as animações que tenho que assistir estão De Onde Vem Os Monstros, Como Treinar Seu Dragão e Madagascar 2. Até lá!

24 de dezembro de 2010

Mais Séries - Internacionais

Já falei de Desperate Housewives, a queridinha desse blogueiro; e também de A Cura e de Clandestinos, produções nacionais. Agora é a hora de falar das séries internacionais que assisti em 2010.
E o grande buzz do ano ficou por conta de The Walking Dead, série curtinha, de apenas seis episódios, mas que (ai-que-clichê) balançou as estruturas mundiais.
Antes mesmo de sua estreia, dezenas de fotos da produção já rodavam pela net, a cada semana a audiência da série subia exponencialmente.

A série foi a grande revelação do ano garantindo várias indicações ao Globo de Ouro. E já é certa a produção de uma segunda temporada, dessa vez com treze episódios.
O interessante da série é que ela abordou o tema zumbis sem se ater apenas a seres em busca de miolos, ela abordou o outro lado, o lado dos sobreviventes da tragédia.
Acompanhar o grupo de sobreviventes liderados pelo policial Rick em seus dramas pessoais enquanto fugiam dos "walkers" foi uma experiência diferente do que temos em outras produções do gênero.
Embora eu ainda ache que o buzz foi exagerado, a série entregou um trabalho de qualidade. E que venha a segunda temporada, só tem outubro de 2011.
É... é isso mesmo, só no terceiro trimestre de 2011 vamos saber qual foi a fofoquinha sussurrada no ouvido de Rick! Será um segredo que pode salvar o mundo? Será a verdade sobre a esposa do médico, o que será que ela o deixou incumbido de fazer, a ponto que ele desistisse de cometer suicídio por tanto tempo? Várias pontas soltas...

E só esse ano comecei a acompanhar Glee.
Todo o buzz sobre essa série, que sempre foi destaque em blogs e no Twitter, me chamou a atenção e resolvi tentar.
Pra que...? Pra me viciar!
"Ahh... mas que coisinha fútil, um bando de adolescentes que ficam cantando o tempo todo, e um roteiro fraquinho e juvenil."
Olha... o que torna Glee diferente de outros musicais juvenis é que os personagens não saem cantando assim, do nada, para expressar seus sentimentos. Cantam no coral, há todo um contexto - vez ou outra algumas intervenções na realidade acontecem, não gosto disso, mas é raro.
O roteiro é bobinho - Onde um garoto de 16 anos vai achar que engravidou a namorada sem ter feito sexo hoje em dia? E onde um homem cai no golpe da barriga falsa? - mas é divertido. Sabe aquele tempinho que você quer pra ver uma história e só se divertir, sem ter que pensar na veracidade das informações? Então, Glee é perfeito pra isso.
A série é bem produzida, o pessoal canta pra caramba, é cheia de participações especiais, e é o assunto do momento né?
Mas também temos que apontar umas coisinhas, DEZESSEIS ANOS? Aham Cláudia, senta ali, eles realmente querem que a gente acredite que esses atores representam jovens de dezesseis ou dezessete anos?
E eu confesso, eu aaaaamo a Sue Sylvester.
A personagem - que era para ter apenas uma participação mínima - acaba roubando todas as cenas em que participa com o seu egoísmo. A verdade é que todas as pessoas gostariam de ter a liberdade de ser Sue por um dia.


E algo tem que ser dito, por várias vezes as performances dos corais da série são superiores às versões originais das músicas.
Como nesse caso de Teenage Dream, que chegou a primeiro lugar na Billboard.



É legal que a série aborde vários temas importantes para os jovens de hoje em dia, dentre eles o bullying nas escolas, representado pelo personagem gay, Kurt. Que chegou a ter que trocar de escola para não mais ser importunado por um 'machão' - que na verdade é um gay enrustido. Afinal, com uma linguagem jovem a mensagem é enviada direta ao público alvo.
Por fim, digo que Glee também está em um intervalo para o fim do ano e só volta em fevereiro.


E eu ainda tenho o fim do ano para conferir algumas séries, vou começar a assistir Dexter, e continuar Mad Men, também vou começar a assistir a comédia Modern Family, mais algumas pra classificação - vícios! E em abril volta outra das minhas queridinhas, United States of Tara em sua terceira temporada.

23 de dezembro de 2010

Mais séries - Nacionais

Mas nem só de Desperate Housewives tenho vivido recentemente. No segundo semestre de 2010 também assisti algumas outras atrações.
Clandestinos - O Sonho Começou foi o que de melhor rolou na telinha da Globo, a série que abordava o sonho de aspirantes a atores que vão para o Rio de Janeiro em busca de um lugar ao sol me encantou desde o primeiro episódio. Numa interessante mistura de vida real e ficção, a série fez bonito ao longo de seus poucos episódios. A dinâmica escolhida pelo diretor João Falcão deu movimento à  trama. Mas a série pecou em resumir a apresentação final a míseros dois minutos. Foi triste esperar todos os episódios e só ver aquilo.
Segundo Patricia Kogut, a Rede Globo já prolongou o contrato com os atores da série e encomendou a João Falcão um novo projeto com eles. Fico na expectativa. Só espero que não aconteça o mesmo que aconteceu com Som & Fúria, cuja segunda temporada fiquei esperando, esperando e... nada!
Ainda sobre Clandestinos, mais uma vez a Globo censurou o tal beijo gay. Desde antes de a série estrear a mídia já apontava o acontecimento e na hora H... mudança de cena. Um telespectador que não soubesse do tal beijo sequer imaginaria que ele rolou. Mas me diz... qual o problema num simples beijo? Já passou da hora dele acontecer, mas vai entender esse país. Engraçado que no último episódio de Afinal o que querem as mulheres, houve um selinho lésbico.
Segundo a direção da Globo, o fio condutor do episódio era amizade entre os personagens e eles se sentiram na liberdade de editar a cena do beijo, tá né! Mas como o beijo foi gravado, ele caiu na grande rede. Dá uma conferida na cena aqui embaixo e diz se havia algum motivo para a não exibição dele.




Enfim... além de Clandestinos, a Globo exibiu A Cura, excelente série - que inclusive ganhou um prêmio de melhor série nacional do ano de 2010 - que promete voltar no ano que vem, já que terminou a primeira temporada com muito suspense e pontas soltas.
Torço muito para que isso aconteça, afinal João Emanuel Carneiro só volta com uma novela em 2012, não podemos ficar sem ver suas tramas na telinha.

22 de dezembro de 2010

Desperate Housewives, seguindo...

E a Sétima Temporada de minha série preferida, Desperate Housewives, dá uma paradinha de algumas semanas devido aos feriados de fim ano.
Chato isso né, mas fazer o que? Esperar... esperar para saber o que vai acontecer após esse último episódio cheio de acontecimentos.
E a série segue pegando fogo... sabe o que é melhor em Desperate? O fato de que os roteiristas não embromam o telespectador! Parei para reler o post que fiz pouco antes da estreia apontando os mistérios que esta série traria. E todos eles foram revelados em menos de dez episódios.
A série costuma ter em média 23 episódios por temporada, e nesses dez primeiros já revelou um bocado de segredos, trouxe novas dúvidas à tona, enfim... movimento foi o que não faltou.
Vamos aos fatos?
Nem suspense rolou, logo de cara ficamos sabendo que Juanita foi trocada na maternidade, ela na verdade é filha de um casal de imigrantes mexicanos que está ilegalmente no país. Nem precisaria ser feito um exame de DNA, Grace definitivamente é filha de Gabby. Fico imaginando quão divertido seria caso essa troca não houvesse acontecido - embora adore Juanita. No último episódio, com Juanita descobrindo a verdade sobre Grace, a história segue um caminho diferente. Gabby já sofreu a descoberta da troca, o encontro com a filha verdadeira, a dor de ama-la a distância, e a sufocante dor da separação... agora terá que se pôr em dias com Juanita.
E o que dizer de Paul Young?
O personagem voltou com sede de vingança e já tocou o terror na vizinhança botando em prática o seu plano. O que ele não sabe é que sua nova esposa, Beth, também tem um plano para ele. Quando eu soube que Beth era filha de Felícia me senti muito estúpido por não ter pensado nisso.
A pergunta é... quem matou Paul Young?
O que Beth fará agora? Ela já estava se apaixonando por Paul, sua mãe quer se vingar de sua inocência, irá Beth se vingar pela morte do marido? Acho improvável que ela o tenha assassinado.
Lynette (minha querida Lynette) está às voltas com sua família. Como sempre trazendo humor e drama à série. A atuação de Felicity Huffman no último episódio foi de gritar "Emmy nela!" A situação vai ficar ainda mais preta para seu lado quando descobrir que Tom teve um caso com Renée no passado e que ela ainda o ama perdidamente e graças aos conselhos de  Susan - pobre Susan que como sempre fez tudo errado, mas com boas intenções - irá investir fundo nos seus sentimentos.
Renée não fez muita diferença na trama, mas quem não morreu de rir na cena em que ela mostra sua fobia com anões? Chorei de rir!
Susan... mais uma vez, e agora literalmente, pobre Susan.
Às voltas com sua situação econômica, mesmo morando em outro bairro, continua ativa na vida dos moradores de Wisteria Lane. Nessa temporada bastante coisa já aconteceu com ela, arrumou um bico se exibindo em um site erótico, agora ataca de babá e já entrou em conflito com sua patroa Lynette e sua sócia, Renée. Fora a perseguição de (Deus o tenha) Paul Young a chantageando e louco para comprar sua casa.
Bree e sua vida amorosa. Agora enrolada com Keith, o bonitão anos mais jovem que ela e seu pai, coroa tarado. Vários momentos dramáticos vieram da personagem, mas a história de sua menopausa foi motivo de muitas risadas. [OFF - O que Marcia Cross faz para ficar cada vez mais linda? Em sete temporadas, a atriz aparece mais jovem e radiante, linda!]
Ainda tem Bob e Lee, o casal terminou o relacionamento na sexta temporada, mas graças a Gabby e seu medo de perder o marido nas garras de Bob, os dois reataram. O que a vizinhança fará com Lee após descobrirem que ele vendeu sua casa a Paul, aliás, terá sido Lee quem matou Paul?

Ai Ai...
Tanta coisa já aconteceu nesses dez episódios, já ri e chorei pra caramba!
Ainda temos 13 para 2011... aguardo ansiosamente o desenrolar dessa história!

20 de dezembro de 2010

O #fail da Tim: Bloqueia Véio

Esperto aquele que inventou o ditado "Quando a esmola é grande, até o santo desconfia."
Se você está inserido nas redes sociais, provavelmente deve ter ouvido falar do plano Tim Beta. Ou melhor, deve ter ouvido falar do aplicativo Bloqueia Véio da Tim disponível no Facebook e no Orkut.
Funciona da seguinte maneira: você faz o jogo no aplicativo, desafia seus amigos a fazerem também. Caso consiga que oito amigos atendam o desafio, você ganha seis chips cadastrados no novo plano da Tim, o Tim Beta.
E o plano é tipo, uma maravilha, você fala de Tim para Tim em qualquer estado do Brasil a R$ 0,10 ao dia. Manda SMS pelo mesmo valor e tem acesso gratuito às redes sociais Orkut, Facebook, Twitter e ao MSN pelo Wap da Tim.
Delicinha né?

Enchi a paciência de alguns amigos, e consegui que oito completassem o jogo. Alguns dias depois recebi um chip. Segundo o aplicativo, eu o ativaria e em até 5 DIAS ÚTEIS eu entraria no aplicativo e indicaria quem seriam os 5 amigos a receber os chips.
Lindo... após o prazo entrei no site e a seguinte mensagem aparecia.
Pois é, depois de mais de 20 dias continuo na mesma.
Atendimento via *144, "Fale Com A Gente" no aplicativo... nada dá certo.
Até o pessoal da área técnica entrou em contato comigo, há exatos 12 dias e disseram que se tratava de um erro no sistema que seria resolvido em 24 horas... aham cláudia, e eu sentei lá né! Sentei e esperei! NADA!
O problema é que não sou só eu, todos que vejo estão reclamando que não conseguem enviar os chips aos amigos.
E o mais legal de tudo é que a Tim (que tem um nick sugestivo no Twitter @TimTimporTimTim) ignora qualquer contato via twitter, facebook, etc.
Caso a empresa assumisse o erro em um pronunciamento e desse um prazo para solucionar, seria diferente. Mas fingir que não há nada errado, e continuar com o aplicativo ativo possibilitando que outras pessoas tenham problemas e uma má imagem da empresa definitivamente não é a melhor maneira de agir.
Um detalhe: o prazo para enviar os chips para os amigos é dia 31/12/2010. Como faz?
Enfim... Tim Beta + Bloqueia Véio, o #fail da Tim.

P.S. Enquanto escrevia o post liguei novamente para a Tim, abriram mais um protocolo para a área técnica... veremos no que vai dar.

19 de dezembro de 2010

Buried - Enterrado Vivo

Buried - Enterrado Vivo é um filme de suspense que estreou no Brasil na semana passada, no dia 12/10.
É um filme e tanto!
Paul Conroy é um motorista americano a serviço no Iraque, ele é sequestrado e enterrado vivo em um caixão. Tudo o que ele tem é um isqueiro e um celular, através do qual se comunica com o sequestrador, e deverá se comunicar com quem quer que seja para conseguir alguns milhões de dólares como resgate.
Respire para absorver o significado da próxima frase...
O filme se passa todo dentro do caixão!
Não é magnífico? O único cenário do filme é este, o caixão em que Paul está enterrado. Os outros personagens só aparecem por meio de vozes no celular.
Para conseguir que um telespectador fique uma hora e meia assistindo um filme com apenas um personagem e um cenário visíveis, tanto o diretor quanto o ator devem dar um espetáculo em suas atuações. Mas isso não é problema para Rodrigo Cortés e Ryan Reynolds. Acredite, mesmo se passando em um caixão, o filme traz reviravoltas e situações tensas ao extremo.
É um filme que eu indico!
Fica aqui abaixo o trailer.









Vamos agora discutir o final do filme.
Que agonizante a história.
Quando o fim vai se aproximando, o personagem desiste, você desiste, fim... o filme acabaria ali com o delírio de Paul na ilusão de ser salvo.
Mas não acaba! O filme segue, e a esperança do resgate eleva a tensão ao extremo, o caixão está se enchendo de areia, Paul está morrendo, o telefone toca [Atende filho da mãe! Atende! Ateeeeende!]. Dan, do outro lado da linha reacende nossas esperanças. [Corra Dan! Corra Dan! Mais rápido Dan!]

It's Mark White! Sorry Paul!
Sorry Paul!

Eu não achei o final decepcionante, imagine se o final fosse diferente, seria aquela mesma velha história de que tudo dá errado, mas no fim, no último segundo a salvação acontece. Não que seria ruim, caso Paul sobrevivesse todos comemoraríamos loucamente, mas se o filme já é diferente, por que não fazer um final diferente?
Ponto pra direção que nos pegou de surpresa! 

10 de dezembro de 2010

De Pernas Pro Ar

No dia 31 de Dezembro estreia em circuito nacional o filme De Pernas Pro Ar. E eu tive o prazer de participar da pre-estreia aqui em Goiânia, ontem mesmo, dia 09 de Dezembro.

O filme é ÓTIMO!
A última vez em que ri tanto no cinema foi com o filme "Se Beber Não Case", e isso faz um tempão viu!

"Produção nacional né, e pelo que vi antecipadamente sobre o filme, vai ser  cheio de piadinhas com conotação sexual: sexo, sexo, sexo..."
Sou fã da Ingrid Guimarães, mas tenho que confessar que foi com esse pensamento que fui assistir o filme.
Felizmente estava completamente enganado, quer dizer, há muitas piadas de conotação sexual, sim, mas há um contexto.
O filme diverte muito, superou pra caramba as minhas expectativas, dá orgulho ver uma produção deste calibre sendo produzida em terras tupiniquins.

A própria Ingrid, em um depoimento antes do início do filme, declarou seu orgulho com a produção por ser sua estreia (como protagonista) em cinemas. Fez seu papel muito bem feito, o filme é todo dela com Alice, sua pesonagem workaholic - com a qual muitas das mulheres brasileiras irão se identificar - na descoberta dos verdadeiros prazeres da vida (e do sexo).
Maria Paula também rouba a cena com Marcela, a personagem bem resolvida, interpretada bem do jeitão Maria Paula de ser.
Talvez alguns apontem os dedos e exponham alguns clichês no roteiro, algo aqui ou ali, mas gente, é comédia, o filme cumpre aquilo a que se propõe, divertir. Por vários momentos, a plateia chegava a aplaudir as tiradas do filme, alguns momentos de humor sutilíssimo bem encaixadinhos dão um tom muito especial e diferente.
Para quem viu a entrevista de Ingrid Guimarães no Programa do Jô e está achando que a cena da calcinha no jogo de futebol vai ser só um mais do mesmo (como em A Verdade Nua E Crua), prepare-se para se surpreender, é definitivamente a melhor cena do filme, não conseguia parar de rir!

Enfim... super, super MESMO indico o filme De Pernas Pro Ar para todos os leitores do blog.
Fica anotado na agenda então, dia 31/12, tá bom, no início de Janeiro né, todo mundo nos cinemas conferindo este filme que vai te deixar de pernas pro ar - de tanto rir (este blogueiro tentando fazer piada é triste! Deixo as piadas para os roteiristas do filme).

Segue abaixo o trailer - com alguns spoilers...

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails