28 de fevereiro de 2011

Born This Way - Lady Gaga


O single Born This Way gerou tanta expectativa, mas acabou não sendo aqueeeela coisa como vinha sendo anunciado. Isso não significa que a música seja ruim, pelo contrário, é uma música boa, caso Lady Gaga não tivesse feito tanta propaganda antecipada, a coisa teria explodido.
Acaba de ser lançado o videoclipe oficial da música, aliás, pelo que li por aí, o single terá dois clipes, este de agora e logo após um outro com uma versão acústica.
Antes de assistir ao clipe não resisti a me perguntar "O que esperar de um novo clipe de Lady Gaga? O que essa pessoa doida vai nos entregar?" Boatos diziam que o clipe estaria repleto de travestis, e a única imagem revelada não dizia muita coisa.

E se a gente parar de especulações e for direto ao que interessa?
O vídeo tá logo abaixo.



27 de fevereiro de 2011

Bruna Surfistinha - O Filme

Não conhecia a fundo a história de Bruna Surfistinha, lembro de ter achado um absurdo quando li que sua história se transformaria em um filme, pensei algo do tipo "Beleza... agora vamos cultuar uma garota de programa!"
Fui ao cinema hoje e o único filme assistível (leia-se: os filmes estrangeiros eram todos dublados, exceto Never Say Never, que não é assistível por uma gama de motivos) era Bruna Surfistinha, já estava movido por um pouquinho de curiosidade a respeito do filme, então, fui na fé!
Aí me deparei com esse cartaz - bem feinho, por acaso - com o seguinte texto que se lê ao lado: "Vá com seu namorado, suas amigas (pq não amigos?) ou sozinha (pq não sozinho?). Só não vá com preconceitos."
Topei o desafio, e entrei na sala sem preconceitos.
E saí de lá assim, mas não que os tenha mascarado como fiz na entrada, eles simplesmente caíram por terra.
O filme não é lá o melhor da história do cinema nacional, mas não creio que ele intente sê-lo. Deborah Secco está bem no papel e me convence como uma garota de 18 anos e em todas as fases da vida de Bruna Surfistinha/Raquel Toledo. A trilha do filme também é legal e ganha pontinhos. Há alguns errinhos, digamos que de... realidade. Ri mto do Netkut e do Globber (já que a Google não pagou pra colocar Orkut e Blogger rs) super atualizados, na época não era bem assim.
Enfim... o filme não cultua a "profissão" de profissional do sexo, mas não joga pedras em ninguém. Achei interessante ver que a indústria do sexo funciona como um mercado qualquer, precisa ser bem administrado, tem suas regras, exige dedicação e especialmente profissionalismo.
Bruna não teve uma vida sofrida que justificasse o fato de ter entrado no mundo da prostituição, entrou por vontade própria.
O filme mudou muitos de meus conceitos, e acabo concordando agora que o mercado do sexo deveria ser legalizado.
Whaaaaaat Gutt? O que você bebeu?
Sério! A garota de programa não se diverte em trabalho, não tá ali por safadagem. Safado é o homem casado que a procura.
Poxa, passou da hora de destabuzar (neologismo?) o sexo, todo mundo gosta de sexo e tem a necessidade de se saciar. Não estou aqui dizendo que apoio infidelidade. Mas se um homem - ou uma mulher, quem sabe? - não está em um relacionamento e quer sentir prazer, porque não procurar um serviço, digamos, especializado no assunto?
A garota de programa trabalha da mesma forma, ganha até um bom dinheirinho (nem todas, claro), mas não tem a segurança de uma carteira assinada, uma licença do INSS, nada disso, que são oferecidos até mesmo a parlamentares que ganham horrores e sequer precisam de tantos benefícios.
Há algumas histórias que o filme não vai a fundo, como quando é descoberta pelo irmão adotivo, ou como ela encontrou o clube privè em que começou a trabalhar. Deve por isso.
Mas, por fim... o filme me deixou com várias coisas na cabeça, então ganhou pontinhos na minha cotação.
É um bom filme, indico pra todo mundo, quer dizer, não concordo nem um pouco com a classificação para 16 anos, o filme é bem pesadinho.
Fique abaixo com o trailer do filme.


Razzies - Framboesa de Ouro 2011

A tradição de premiar os piores do ano no cinema chega à sua 31ª edição, The Golden Raspberry Award (Razzie) também conhecido como Framboesa de Ouro de 2011 já teve seus... "ganhadores" anunciados.




Sem muitas surpresas, o grande "campeão" da noite foi o filme The Last Airbender - O Último Mestre do Ar que conquistou os títulos de: Pior filme, Pior Direção (M. Night Shyamalan), Pior Roteiro, Pior Uso do 3-D e Pior Ator Coadjuvante (Jackson Rathbone - Sokka). Detalhe: Jackson também concorria pelo prêmio de pior ator coadjuvente pelo filme Eclipse.




A lista completa de nomeados e 'vencedores' segue abaixo.

Pior Filme

Caçador de Recompensas 
A Saga Crepúsculo: Eclipse 
O Último Mestre do Ar 
Os Vampiros que se Mordam 
Sex and the City 2 

Pior Diretor 

Sylvester Stallone (Os Mercenários) 
Jason Friedberg e Aaron Seltzer (Os Vampiros que se Mordam) 
Michael Patrick King (Sex and the City 2) 
M. Night Shyamalan (O Último Mestre do Ar) 
David Slade (A Saga Crepúsculo: Eclipse) 

Pior Ator 

Gerard Butler (Caçador de Recompensas) 
Robert Pattinson (A Saga Crepúsculo: Eclipse / Lembranças) 
Taylor Lautner (A Saga Crepúsculo: Eclipse / Idas e Vindas do Amor) 
Jack Black (As Viagens de Gulliver) 
Ashton Kutcher (Par Perfeito / Idas e Vindas do Amor) 

Pior Atriz 

Kristen Stewart (A Saga Crepúsculo: Eclipse) 
Jennifer Aniston (Caçador de Recompensas / Coincidências do Amor) 
Miley Cyrus (A Última Música) 
Sarah Jessica Parker, Kim Cattrall, Kristin Davis e Cynthia Nixon (Sex and the City 2) 
Megan Fox (Jonah Hex - O Caçador de Recompensas) 

Pior Ator Coadjuvante 

Billy Ray Cyrus (Missão Quase Impossível) 
Dev Patel (O Último Mestre do Ar) 
Rob Schneider (Gente Grande) 
George Lopez (Idas e Vindas do Amor / Marmaduke / Missão Quase Impossível) 
Jackson Rathbone (O Último Mestre do Ar / A Saga Crepúsculo: Eclipse) 

Pior Atriz Coadjuvante 

Cher (Burlesque) 
Liza Minnelli (Sex and the City 2) 
Barbra Streisand (Entrando Numa Fria Maior Ainda com a Família) 
Nicola Peltz (O Último Mestre do Ar) 
Jessica Alba (O Assassino em Mim / Machete / Entrando Numa Fria Maior Ainda com a Família / Idas e Vindas do Amor) 

Pior Dupla ou Elenco 

Jennifer Aniston e Gerard Butler (Caçador de Recompensas) 
Todo o elenco de A Saga Crepúsculo: Eclipse 
Todo o elenco de O Último Mestre do Ar 
Todo o elenco de Sex and the City 2 
Josh Brolin e Megan Fox (Jonah Hex - O Caçador de Recompensas) 

Pior Roteiro 

O Último Mestre do Ar 
Entrando Numa Fria Maior Ainda com a Família 
Sex and the City 2 
A Saga Crepúsculo: Eclipse 
Os Vampiros que se Mordam 

Pior Sequência, Refilmagem, Prelúdio ou Derivado 

Os Vampiros que se Mordam 
Sex and the City 2 
Fúria de Titãs 
A Saga Crepúsculo: Eclipse 
O Último Mestre do Ar 

Pior Uso de 3D 

Fúria de Titãs 
Como Cães e Gatos 2 - A Vingança de Kitty Galore 
O Último Mestre do Ar 
Jogos Mortais - O Final 
O Quebra-nozes 3D


Em tempo: hoje saem os premiados do Oscar, finalmente não conferi quase nenhum dos filmes, não posso fazer minha previsão.
Aguardemos então!

18 de fevereiro de 2011

Hold It Against Me - Britney Spears

E o ano de 2011 tá que tá pegando fogo no mundo pop.
E a guerra entre as cantoras pops está cada vez mais acirrada.
Na semana passada Lady Gaga decepcionou exibiu suas armas com o lançamento de seu novo single "Born This Way" e se apresentou pela primeira vez na entrega do Grammy com uma apresentação não tão digna de toda sua carreira.
Antes disso, Britney Spears, a princesinha do pop mundial deu as caras com sua nova música, "Hold It Against Me", e hoje, agora mesmo, lança o clipe oficial da música.
Os fãs das cantoras travam uma - dispensável - guerra na Internet.
Com o lançamento do clipe de Britney Spears, é dada a largada. Lançamento este extremamente aguardado. Britney soube alimentar as expectativas soltando promos diárias duas semanas antes do lançamento oficial, todos estão aqui, agora, na madrugada (horariozinho ingrato) na espera.
Enfim...


Quem será a Diva Pop do ano de 2011?


Sem mais delongas, confira agora o clipe de Hold It Against Me.




Hummm...
Como faz quando a divulgação empolga mais que o próprio single? #BornThisWay
Como faz quando as promos empolgam mais que o próprio vídeo? #HoldItAgainstMe

O vídeo pega ritmo a partir da segunda metade com a luta entre Britney e sua... cosplay(?)
Coreografia? Peeenn... não gostei.
Táh, o vídeo é bonzinho. Não vou ser injusto, vou dar nota 8,5 (da primeira vez minha nota foi 7,2) pra não deixar ninguém muito decepcionado. Afinal, depois de analisar um pouco mais o vídeo e a história a ser contada, merece mais crédito.
No entanto a inclusão de marcas no vídeo é mal feita, a coreografia como já falei, é fraca. Falta energia.

Como brinquei agora há pouco no Twitter, entre Lady Gaga e Britney Spears?
Eu por enquanto fico com a Willow Smith!!!

"I whip my hair back and forth..."

12 de fevereiro de 2011

O Ritual (The Rite)

O Exorcismo de Emily Rose, O Último Exorcismo e vários outros (aos menos tentam) bebem da mesma água do mais que excelente O Exorcista; o mesmo caminho segue O Ritual (The Rite) estreia recente no Brasil, este, ao menos, cumpre melhor seu papel.
Não assisti qualquer trailer, só ouvi comentários de que o filme era bom, então fui sem muitas expectativas - parece que estou aprendendo.
Mas a decepção inicial aconteceu na fila de entrada do filme, ao passar pelo cartaz e ver a triste sentença "Baseado em fatos reais", pronto... se posso traduzir "o filme é ruim, mas óh dá um desconto, trate de acreditar em toda baboseira que te for mostrada, afinal, a história é real"
Tá... deixa rolar.
Sou fã de O Exorcista, não há um filme de terror que possa ser comparado à grande obra prima. Então já tenho um certo preconceito com filmes que tratem de possessão.
Rápida sinopse? Michael Kovak, garoto cético tenta fugir da opressão que seu pai lhe impõe e vê como única alternativa ir para o seminário, estudar e pular fora do barco antes de fazer os votos finais. Mas acaba sendo enfrentado pelas forças malignas.
Para fazer com que o protagonista enfrente suas dúvidas e acredite em Deus, e principalmente no Diabo, Padre Lucas Trevant (interpretado por Anthony Hopkins) é convocado para lhe mostrar como se fazer um exorcismo.
Aí começa aquele jogo, o que está acontecendo: possessão? loucura? charlatanismo?
Neste ponto o filme começa a ficar a interessante ao jogar com as crenças do público e do personagem.
O filme ganha pontos pela atuação, pela direção, pela produção, e principalmente por não fazer uso de vários clichês de filmes deste gênero - não por falta de oportunidade. Um detalhe desimportante, mas que me agradou, o filme tem um quê de moderno, mostra-se atual.
Chega ao ápice perto do final, mas descamba no mais do mesmo ao chegar o fim.
Após a turbulência, o céu fica claro, as cenas ficam bem iluminadas, personagens tornam-se exemplos de  bom mocismo. "Sou feliz, por isso estou aqui, também quero viajar nesse balãããão".
Mais uma vez um detalhe besta, mas que me irritou, alô direçãããão! Após mostrar a atualidade, o protagonista me recebe cartas? Ahhh... vá dormir! Cartas? Mesmo? Triste.
Outra, Alice Braga está no filme, com uma personagem que apesar de não entrar-muda-e-sair-calada, entra apagada e sai da mesma forma, é um personagem que está ali e só, não faz a menor diferença.
E termina com a típica forçada de barra do "baseado em fatos reais" .
Conclusão? É um filme bom. Vá ao cinema. Com tantos títulos que prometem ser filmaços nessa temporada pre-Oscar, opte por eles. Caso tenha tempo, aí fique com "O Ritual" mesmo, mas vá pela diversão.

9 de fevereiro de 2011

The Ballad Of Mona Lisa - P!ATD

Panic! At The Disco, uma das bandas que figuram no top top de minha preferência.
A banda já estava há cerca de três anos sem uma novidade, após o lançamento do segundo cd (não sejamos injustos, no ano passado lançaram a ótima New Perspective como trilha do filme Jennifer's Body).
Depois de algumas mudanças nos integrantes da banda, eles estão vindo com tudo com lançamento do cd Vices & Virtues previsto para o fim de março.
Mas é lógico que não precisamos esperar até lá para termos uma ideia do que o novo trabalho nos entregará, recentemente lançaram o single e agora o clipe oficial para a música "The Ballad Of Mona Lisa".



Para quem não conhece a banda, eles estouraram nos anos de 2004 e 2005 com o cd "A Fever You Can't Sweat Out", um dos poucos álbuns dos quais não abro mão de ter sempre por perto para ouvir.
O som da banda é diferente do comum, é um som e caracterização clownescos, uma loucura meio mal contida que se deixa transparecer na energia contagiante de seus singles. Os de maior sucesso desse cd são "I Write Sins Not Tragedies" e "The Only Difference Between Martyrdom and Suicide is Press Coverage", e entre as minhas preferidas também figuram "Camisado" e "Lying Is The Most Fun A Girl Can Have Without Taking Her Clothes Off".


Em 2008 a banda lançou seu segundo cd, "Pretty. Odd.", este já veio com um som mais comum e não tão contagiante. Um certo conflito de características dos integrantes acabaram tirando a banda do trilho encontrado com o primeiro cd.
Algo que não entendi foi o fato de terem tirado o ! (ponto de exclamação) passando a ser Panic At The Disco, nas agora já voltaram para o Panic! Ath The Disco.
Enfim, destaques do cd? "When The Day Met The Night", "Nine In The Afternoon" e "We're So Starving".


Com a promessa de resgatar a aura de "A Fever..." a banda lança agora seu terceiro cd "Vices & Virtues". O single "The Ballad of Mona Lisa" e a demo de "Nearly Witches" mostram que os fãs podem se encher de esperança, estão no caminho certo.
A capa do cd traz alguns detalhes inclusos no clipe e com certeza alguns outros easter eggs que se revelarão ao passar do tempo.


Quem não se lembra do clipe de "I Write Sins Not Tragedies"? Ao começar a assistir o novo clipe acreditei que se tratasse de uma continuação, a igreja, o visual espírito intrometido de Brandon Urie, talvez, quem sabe?
Assiste aí e eu comento mais abaixo.




Assim como em "I Write Sins Not Tragedies", é a mulher que causa o final do relacionamento, e o espírito clown de Brandon Urie é quem revela a todos a verdade. E no fim tudo se dá bem, enquanto a vilã-metida-a-espertinha da história se dá mal (e como se dá mal dessa vez!).

A letra da música pode também ter várias interpretações, desde a história de que Mona Lisa era um caso de Da Vinci, como é especulado; até a minha interpretação pessoal, que fui construindo ao ouvir a música, ver a capa e assistir ao lyric video lançado. Enfim, para mim a Mona Lisa da música era uma mulher que se envolvia com homens por dinheiro, odiava sua própria vida mas não pode deixar isso à vista, era forte o bastante para manter sua postura de  força e sensualidade, sem nunca deixar que seu cliente imagine estar acima dela.

Bom, talvez eu tenha viajado um pouco nessa minha forma de conectar os clipes e interpretar a letra, mas louco para uma continuação de "A Fever..." é assim que prefiro imaginar as coisas.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails