10 de fevereiro de 2013

A Culpa É Das Estrelas - John Green

Eu vi críticas legais do livro, baixei a preview, gostei do início, enfim decidi ler tudo.

Hazel Grace vive o tratamento de um câncer em estado terminal, está servindo de cobaia para o teste de um remédio promissor. Numa sessão do Grupo de Apoio ela conhece Augustus Waters, um 'sobrevivente'. Ambos são inteligentes, bem humorados e dotados de uma capacidade de enxergar o mundo sem muitos filtros. Juntos, eles vivem uma emocionante história; uma história de dois adolescentes, e não de dois doentes.

Eu não gosto de sensacionalismo, e acertei ao imaginar que o livro não carrega esse tipo de mensagem. O câncer está presente na história, claro, mas não como uma nuvem negra que paira sobre todos.
Os diálogos e as ideias são fortes e de um azedume que incomodam, mas de uma maneira boa. Hazel e Augustus, no entanto, são dois personagens irreais, improváveis. Foi essa a impressão que tive. 
Markus Suzak, autor do ótimo A Menina Que Roubava Livros, diz o seguinte sobre a história "Você vai rir (VERDADE), vai chorar (VERDADE!!!) e ainda vai querer mais (NÃO É VERDADE)".
É o primeiro livro de John Green que leio, sua escrita é interessante, na obra a narrativa é em primeira pessoa e ele consegue expressar bem os sentimentos (imagino eu) de uma garota de 16 anos. Fiquei interessado em procurar outras de suas histórias. O que não me conquistou mesmo foi a, por que não dizer, quase crepusculização da trama.


Bom!
O drama é interessante? Sim. Me pregou algumas surpresas? Sim. Me fez rir e chorar? Sim. Mas não... não me pareceu plausível, não senti por A Culpa É Das Estrelas, aquilo que Hazel sente por Uma Aflição Imperial, não quis saber o que acontece após o fim, foi só um livro a mais.

2 de fevereiro de 2013

O Lado Bom da Vida - David O. Russell

8 indicações ao Oscar. Está bom pra você?
O Lado Bom da Vida (Silver Linings Playbook) consegue encaixar-se nas categorias drama, romance e comédia. 

Após 8 meses de internação em uma clínica psiquiátrica, Pat está disposto a recuperar seu casamento, cuja ruptura envolve traição e violência. Enquanto retoma sua vida, conhece Tiffany, uma jovem viúva cheia de problemas. Seguindo a ideia de que uma mão lava a outra, os dois partem em uma "louca e maravilhosa comédia".

Jennifer Lawrence e Bradley Cooper estão sensacionais nos papéis de Pat e Tiffany, a nada improvável dupla "socialmente desajustada".

Vale um destaque especial à Jennifer, atriz que está se tornando a mais nova queridinha das telonas, esbanjando talento em produções bem sucedidas. Tomara que leve o Oscar.

Perfeito!!!
Uma graça. Atuações brilhantes e uma trama gostosa de  se acompanhar e torcer pelos personagens. Super indico!

Toy Story Live Action - Jonasons Movies

Toy Story é uma marco da história do cinema, não há como negar. E ele certamente marcou a infância de muitas pessoas.
Dois irmãos americanos começaram com uma brincadeira, que foi tomando rumos inesperados, até se transformar na réplica em live action do filme. O FILME INTEIRO!!!
Valeu o esforço destes garotos, que levaram mais de 2 anos pra terminar o projeto. Inclusive a Pixar já os autorizou a divulgar o trabalho; entendendo-o como uma homenagem.





Perfeito!!!
Claro que não é nenhuma super produção, mas o trabalho caseiro desses irmãos ficou simples e - porque não usar essa palavra? - lindo! Merece milhões de indicações. Você pode conferir logo abaixo.



De Pernas Pro Ar 2 - Roberto Santucci

Dois anos depois, é lançada a continuação do sucesso De Pernas pro Ar.

O filme segue a mesma linha do anterior, Alice não mudou muito, continua sendo uma workaholic, e está planejando o lançamento de uma filial da Sex Delícia em Nova York. Após ter um surto, ela é internada em um spa/clínica de reabilitação, na tentativa de se acalmar. Ela ainda consegue parar em Nova York (sempre escondendo tudo de seu marido) onde boa parte do filme se passa.

Dessa vez o filme é da personagem Rosa, que rouba várias das cenas. Ingrid Guimarães continua sendo Ingrid Guimarães, mas isso não chega a ser um ponto fraco, já que Ingrid e Alice combinam.


Muito bom!

É uma ótima comédia, mas não tem o mesmo fôlego do primeiro filme.  As participações especiais mereciam muito mais espaço. Piadas previsíveis. Ainda assim, claro que é uma bela indicação para se divertir.

O Hipnotista - Lars Kepler

Eu adoro thrillers, livros de Erica Spindler, Mary Higgins Clark e afins são meus favoritos.
Agora conheci Lars Kepler (que na verdade é um pseudônimo sob o qual escreve o casal sueco Alexander e Alexandra Ahndoril).
O livro O Hipnotista (Hypnotisören) é um desses thrillers cheio de reviravoltas e um emaranhado de histórias diferentes que vão se entrelaçando até formar um fechamento explosivo.

Uma família é brutalmente assassinada, o único sobrevivente do massacre, um garoto, está inconsciente e não pode ajudar a polícia. Descobre-se que ainda há uma garota da família viva, em sério perigo; a urgência de tomar o depoimento do garoto leva a polícia (através do investigador Joona Lima) a procurar Erik Maria Bark, um conhecido médico especialista em hipnose, mas que há dez anos prometeu nunca mais utilizar o método.

Muito bom!
Indico o livro para os amantes de romance policial. Muitas páginas que você vai virando, ou melhor dizendo, devorando, enquanto mergulha nas histórias de Erik, na tentativa de solucionar o caso da família Ek - e outros que vão surgindo.

Sim, já existe a adaptação para os cinemas. Infelizmente o filme não funciona como adaptação, à medida que muda toda a história (de verdade!). Um roteiro feito 'nas coxas' com conexões fracas, e que ignora muitas passagens e personagens secundários.

Olhando o filme isoladamente, também não funciona, muito superficial. Ainda espero, embora seja difícil, uma outra adaptação, porque a trama merece!
Ruim!

Acho que já ficou claro que o filme não merece atenção.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails