10 de fevereiro de 2013

A Culpa É Das Estrelas - John Green

Eu vi críticas legais do livro, baixei a preview, gostei do início, enfim decidi ler tudo.

Hazel Grace vive o tratamento de um câncer em estado terminal, está servindo de cobaia para o teste de um remédio promissor. Numa sessão do Grupo de Apoio ela conhece Augustus Waters, um 'sobrevivente'. Ambos são inteligentes, bem humorados e dotados de uma capacidade de enxergar o mundo sem muitos filtros. Juntos, eles vivem uma emocionante história; uma história de dois adolescentes, e não de dois doentes.

Eu não gosto de sensacionalismo, e acertei ao imaginar que o livro não carrega esse tipo de mensagem. O câncer está presente na história, claro, mas não como uma nuvem negra que paira sobre todos.
Os diálogos e as ideias são fortes e de um azedume que incomodam, mas de uma maneira boa. Hazel e Augustus, no entanto, são dois personagens irreais, improváveis. Foi essa a impressão que tive. 
Markus Suzak, autor do ótimo A Menina Que Roubava Livros, diz o seguinte sobre a história "Você vai rir (VERDADE), vai chorar (VERDADE!!!) e ainda vai querer mais (NÃO É VERDADE)".
É o primeiro livro de John Green que leio, sua escrita é interessante, na obra a narrativa é em primeira pessoa e ele consegue expressar bem os sentimentos (imagino eu) de uma garota de 16 anos. Fiquei interessado em procurar outras de suas histórias. O que não me conquistou mesmo foi a, por que não dizer, quase crepusculização da trama.


Bom!
O drama é interessante? Sim. Me pregou algumas surpresas? Sim. Me fez rir e chorar? Sim. Mas não... não me pareceu plausível, não senti por A Culpa É Das Estrelas, aquilo que Hazel sente por Uma Aflição Imperial, não quis saber o que acontece após o fim, foi só um livro a mais.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails